quinta-feira, 22 de abril de 2010

Adolescente e a familia

O Adolescente e a Família
The Adolescent and the Family
Maria José Paro Forte1
Serviço Social do Instituto da Criança do HC FMUSP
Unitermos: Adolescente, Família, Relacionamento familiar, Atuação do assistente social
Keywords: Adolescent, Family, Family relationship, Social worker role
1 - Supervisora da Divisão de Serviço Social do Instituto da Criança, Assistente Social da Unidade de Adolescentes do Instituto da Criança.
RESUMO
A família, em nossa sociedade, é o primeiro
agente socializador da criança e do adolescente.
As características da família têm influência direta
nas características do adolescente (nivel interno e
relacionamento com o meio externo). A sociedade
oferece um modelo de família (família pensada),
mas as famílias vão estabelecendo um
modo de viver cotidiano (família vivida). Cada
família tem sua especificidade e esta deve ser considerada
em todo trabalho envolvendo famílias.
No geral, o adolescente é parte integrante do sistema
familiar; portanto, a família deve ser considerada
e trabalhada no atendimento de adolescentes.
O relacionamento estabelecido entre
família e adolescente está na dependência do
posicionamento dos pais frente ao processo adolescente
dos filhos. O artigo cita exemplos de
falas de adolescentes sobre o relacionamento
estabelecido com a família, especialmente os pais.
Percebe-se a necessidade de que haja conhecimento
e compreensão sobre as características do
processo adolescente para que o relacionamento
seja harmonioso e facilitador da vivência do
processo adolescente.
No atendimento de adolescentes, o assistente
social deve atuar na linha de orientação com
adolescentes e/ou família, enfocando a adolescência,
o relacionamento familiar e o relacionamento
mais amplo com a sociedade.
Introdução
O Estatuto da Criança e do Adolescente2, em seu
Capítulo III, Seção I, artigo 19, estabelece: "Toda criança
ou adolescente tem direito a ser criado e educado
no seio da sua família e, excepcionalmente em
família substituta, assegurada a convivência familiar e
comunitária..." De acordo com o E.C.A., a família é
revestida de deveres e factível de ser punida. Ao mesmo
tempo, todas as medidas de proteção reforçam o
vínculo familiar como primeiro e fundamental no desenvolvimento
da criança e do adolescente.
A Família como Agente Socializador
O E.C.A. vem de encontro ao posicionamento da
nossa sociedade atual, que enfatiza a família como a
primeira instituição socializadora da criança. Segundo
Lane7: "A introdução do homem na sociedade é realizada
pela socialização, inicialmente a primária e, posteriormente
a secundária. Na nossa sociedade, a socialização
primária ocorre dentro da família, e os aspectos
internalizados serão aqueles decorrentes da inserção
da família numa classe social, através da percepção
que seus pais possuem do mundo, e do
próprio caráter institucional da família..."
Os mecanismos de socialização são estruturalmente
engendrados e definidos. O processo de socialização
só pode ser tratado como um processo evolutivo
da condição social da criança, considerando-se sua
origem de classe.
Como a família é a primeira instituição socializadora
da criança, é ela que desempenha o papel de organizadora
primária da sociabilidade e da sexualidade,
bem como dos laços de dependência emocional entre
seus membros. Na dependência das características da
família é que vão surgir determinadas características
do adolescente, considerando-se estas não só no nível
interno do adolescente, mas também no nível de seu

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário